Retomada à vida corporativa

IMG_2835

Vamos conversar sobre o que anda acontecendo e o porquê de eu ter sumido desse jeito, afinal esse blog tinha aualizações praticamente diárias e tudo anda meio parado por aqui. AQUI eu falei do quanto eu precisaria me ausentar e as coisas acabaram não voltando ao normal por causa do tempo maior que eu tenho passado na casa dos meus pais paparicando o sobrinho delícia, mas também tenho uma novidade: voltei a trabalhar!!! Continuar lendo

Você conhece a Técnica Pomodoro?!

Não sei se vocês têm esse problema, mas eu sou uma procrastinadora de carteirinha e também sou super dispersa. Qualquer coisa me chama a atenção e é super difícil ficar concentrada por muito tempo.

Isso me prejudicava tanto no trabalho quanto nos estudos, porque sou engenheira e meu trabalho sempre foi bem focado na parte técnica. Eu sempre precisei de concentração. Continuar lendo

Alternativas para enfrentar o desemprego

Alternativas-ao-desemprego-desacelera-camila
Link na imagem.

Neste post AQUI o Lucas Vieira me perguntou se eu já tinha escrito sobre formas de ganhar dinheiro nesse período de desemprego.

Eu assumo que não pensei em nada disso, afinal imaginei, que se acontecesse comigo, eu iria lidar como se fosse um período de “férias forçadas”. Até porque eu não me vejo fazendo outra coisa que não seja a engenharia.

Mas o comentário do Lucas me despertou curiosidade e comecei a pensar nisso. Tanto na minha situação quanto na situação das pessoas que eu conheço e que também estão passando por isso. Acabei pensando nas seguintes opções. Continuar lendo

Como o meu desemprego afetou a rotina do marido

alice perdida

Rotina é uma coisa bastante engraçada porque vivemos nela, mas nem percebermos. Quando ela muda, por qualquer motivo, é que fica mais claro o quanto ela era importante em nossas vidas.

Eu sempre procuro tirar 30 dias de férias, porque nessa vida de pular de projeto em projeto não é todo ano que rolam férias. Mas nunca fiquei mais tempo que isso em casa, muito menos depois de ter me casado.

Aí que a coisa “complica”, afinal muda tudo quando estamos mais tempo em casa. Continuar lendo